Qual o significado de SAE 15W-40 e outras letras no lubrificante?

SAE 15W-40 diz respeito a um lubrificante multigraduado em que neste caso são mostrados dois conjuntos numéricos, separados por um travessão. O primeiro número é sucedido pela letra “W”, referente a “winter” (inverno, em inglês) e que indica o grau de viscosidade a temperaturas mais baixas. Um lubrificante com primeiro número SAE mais baixo indica que terá maior fluidez, com o qual terá melhor performance para arranque a baixas temperaturas, reduzindo o desgaste no motor. O segundo número faz referência à viscosidade a altas temperaturas (com ensaios a 100ºC e 150ºC). Quanto maior for o grau SAE do último conjunto, maior é a viscosidade e espessura de película lubrificante. A viscosidade é essencial para proteger os componentes mecânicos à temperatura de funcionamento. Não obstante, um excessivo grau de viscosidade a altas temperaturas poderá causar uma maior fricção interna, com pior desempenho e consequente aumento do consumo de combustível.


A viscosidade do lubrificante é muito importante e é afetada pela temperatura. SAE, acrónimo de Society of Automotive Engineers, é o organismo responsável por estabelecer, a nível internacional, uma classificação/grau de viscosidade baseada nos ensaios que determinam a viscosidade do lubrificante. Essa classificação é realizada com ensaios que determinam a viscosidade a frio, a diferentes temperaturas abaixo do zero e, por outro lado, ensaios que determinam a viscosidade a quente. Tomando isto como base, existem lubrificantes monograduados (aptos para funcionamento com temperaturas específicas) ou multigraduados (aptos para funcionamento com uma alargado intervalo de temperaturas).

Com os lubrificantes multigraduados, como o SAE 15W-40, não existe a necessidade de substituição com a mudança de estação, sendo apenas necessária quando é atingido o intervalo de muda, dado que a temperatura ambiente não os afeta o funcionamento em comparação com os lubrificantes monograduados.
Em regra geral, é sempre recomendada a consulta do manual do veículo e seguir as indicações do fabricante do motor, sendo que este estabelece qual é o grau de viscosidade mais adequado para o motor, tendo em conta com os requisitos do mesmo, em função das condições ambientais e do tipo de serviço de veículo.